FAIL (the browser should render some flash content, not this).

História do Edifício

 

O Edifício do Centro Ciência Viva de Sintra localiza-se na Antiga Garagem dos Carros Eléctricos que, desde o século XIX, ligaram Sintra a Colares e à Praia das Maçãs. O sonho de ligar Sintra a Colares e, posteriormente, à Praia das Maçãs, surgiu em 1886. Durante vários anos efectuaram-se sucessivas tentativas para a materialização deste projecto que, no entanto, fracassaram.

Somente em Novembro de 1898, com a concessão atribuída pela Autarquia a Nunes de Carvalho e Emídio Pinheiro Borges, pelo prazo de 99 anos, para construir e explorar um caminho-de-ferro a vapor entre Sintra e a Praia das Maçãs, o projecto começaria a ganhar forma.

edi

Em Julho de 1900, constituiu-se a Companhia do Caminho de Ferro de Cintra à Praia das Maçãs que, em 1904, assumiu a denominação de Companhia Cintra ao Oceano. Em Agosto de 1902, na zona da Estefânia (Sintra) iniciou-se a construção desta linha e, em Março de 1903, foram encomendados à firma americana J. G. Brill Company, 13 eléctricos, sendo sete carros motores e seis atrelados.

A 31 de Março de 1904, inaugura-se o primeiro troço desta linha, entre Sintra (Vila Velha) e São Sebastião de Colares, numa extensão de 8,900 metros e a 10 de Julho seguinte, foi aberto o troço até à Praia das Maçãs, numa extensão de 3,785 metros. Desde do princípio, a vida dos eléctricos relevou-se sempre atribulada. Em 1914, é constituída a Companhia Sintra-Atlântico que substituiu a anterior empresa que entretanto falira.

A 31 de Janeiro de 1930, os eléctricos chegaram à pitoresca vila das Azenhas do Mar, atingindo a linha a sua máxima extensão: 14,600 metros. Os eléctricos de Sintra entraram, então, no seu período áureo impulsionados pelo dinamismo do seu Administrador, Camilo Farinhas, que liderou a Sintra-Atlântico até ao ano da sua morte, em 1946.

elec


Com o desenvolvimento dos transportes mecânicos, a partir de finais dos anos 40, o eléctrico entra em declínio. Entre o ano de 1953 e 1958, os eléctricos funcionaram somente durante o Verão, foi encerrado o troço Praia das Maçãs - Azenhas do Mar, bem como o troço entre a Vila Velha e a Estação de Sintra, consequência do alargamento da Volta do Duche e do incremento do tráfego automóvel nessa área de Sintra.

Funcionando, unicamente, nas épocas estivais entre Sintra (Estação) e a Praia das Maçãs, os eléctricos adquiram um estatuto muito especial, assumindo-se com um “ex-líbris” de Sintra. Aos domingos e feriados, era comum ver autênticas avalanches de pessoas à disputando um lugar nos eléctricos.

Em Agosto de 1967, a Sintra-Atlântico é adquirida pelo grupo de camionagem Eduardo Jorge. Sob a tutela desta nova Administração, o investimento nos eléctricos reduziu-se ao mínimo da sua sobrevivência, agudizando-se até ao final da sua concessão, pois, a exploração era, há muito, deficitária. A degradação das infra-estruturas e material circulante tornaram-se uma realidade, fruto do desinvestimento por parte da empresa concessionária.


Este desolador panorama prolongou-se até 1974, ano em que os eléctricos circularam pela última vez até Sintra. Em de Julho de 1975, foi determinada a substituição dos eléctricos por autocarros.

Não obstante, todas as adversidades, venceu a determinação férrea de repor os eléctricos  nos carris e a 15 de Maio de 1980, foi oficialmente reiniciada a circulação nesta linha mas, somente, entre o Banzão e a Praia das Maçãs.

Entre 1996/97 foi recuperado o troço entre a Ribeira e a Praia das Maçãs e a 30 de Outubro de 1997, a Ribeira celebrou, novamente, a chegada dos eléctricos. A 4 de Junho de 2004, precisamente no ano do seu Centenário, os eléctricos circulam de novo até Sintra, mais propriamente até à zona da Estefânia.

De novo em funcionamento este “Património sobre Carris” e muitos anos depois, é com grande entusiasmo e alegria que voltamos a assistir à passagem dos carros eléctricos repletos de passageiros deslumbrados com a beleza do percurso que lhes dá a conhecer Sintra.

Imprimir esta Página

 
Uma vida a aprender para continuar sempre a crescer!